Inverno da Alma

Resultado de imagem para inverno da alma

Nota: 7.5

O cinema independente é característico por baixo orçamento e uma exibição mais corajosa da realidade exposta no cinema comercial, principalmente hollywoodiano. Ainda que, nos dias de hoje, a primeira característica esteja perdendo força, a segunda ainda é constantemente explorada nos filmes independentes, o que os torna uma categoria “à parte” de todas as outras. E em 2010, um representante do bom, mas ainda deixado à margem pelos principais prêmios da sétima arte, cinema independente, conseguiu uma indicação ao inchado Oscar. “Inverno da Alma” (Winter’s Bone) é um filme franco, forte, mas que peca nos detalhes.

Ree Dolly (Jennifer Lawrence) é uma garota de 17 anos totalmente fora do estereótipo americano. Ela cuida de seus dois irmãos e de sua mãe doente como se fosse a própria “chefe de família”. Sua vontade e perseverança diante de uma realidade difícil (tanto financeira quanto em relação ao lugar onde vive, afastado de tudo) mostra sua maturidade ao longo da projeção, conferindo à personagem uma força que, costumeiramente, não é atribuída a atores/atrizes tão jovens. Seu pai, que não aparece em casa há um bom tempo, coloca a casa como garantia a problemas na justiça. Então, Ree recebe a visita de um policial que a avisa de que a casa será tomada; e que a única solução seria que seu pai se entregasse às autoridades, ou que ela provasse que ele estava morto. Começa, então, uma busca desesperada e agonizante da adolescente por seu pai, em uma jornada perigosa e reveladora.

O título em português, “Inverno da Alma”, confere ao longa uma força muito maior que o “Winter’s Bone” do título em inglês (que é, também, um spoiler de um dos principais acontecimentos do filme). “Inverno da Alma” vai além dos dramas/suspenses envolvendo busca que vemos sendo lançados todos os meses nas salas de cinema. A imprevisibilidade dá o tom da trama, que nos deixa sempre um passo atrás de Ree, que sabe muito mais do que acontece do que aparenta para o espectador. E isso torna o diálogo protagonista-espectador muito interessante, pois acompanhamos junto com ela o desvendar da história, nos sentimos parte da busca pelo pai, e criamos uma sincera empatia pela personagem. Ree mostra-nos que, mesmo em situações adversas (até aparentemente impossíveis), devemos continuar trilhando nosso caminho em busca de nosso objetivo, o que é um dos pontos mais fortes do filme. Além das soberbas atuações.

A jovem atriz Jennifer Lawrence, com 19 anos à época das filmagens, estava fazendo apenas seu segundo filme. Mas parecia uma veterana em ação. Tudo, desde suas expressões faciais aos tons de voz, estava perfeitamente encaixado com a proposta para a personagem. Ela faz com que realmente nos envolvamos fortemente com o longa, trazendo um pouco de “calor” ao inverno do título (e da projeção também, como falarei mais abaixo). Sua atuação é, sim, digna de indicação ao Oscar, apesar de ter me surpreendido particularmente. O ator mais conhecido do filme, tendo feito inúmeros trabalhos (como Miami Vice) antes de “Inverno da Alma”, é o ótimo John Hawkes. Interpretando Teardrop, tio de Ree, Hawkes consegue ter uma atuação ainda melhor que Jennifer Lawrence, roubando a cena para si em todos os momentos. Teardrop é um personagem característico desse tipo de filme: é o marginal de aspecto sujo que se contrapõe a nossa “heroína”, recusando-se a participar das buscas pelo pai da adolescente. Mas, com o passar do tempo, Teardrop é humanizado, o que mostra que a família ainda é uma instituição importante para o estranho homem.

“Inverno da Alma” é um filme de ritmo lento (o que, de fato, desagrada a maioria do público que espera uma busca frenética e cheia de ação), que foca na dor. E, por isso, houve um estranhamento geral da crítica em virtude de sua frieza. A força do filme, bem como de sua protagonista, traz o espectador para junto da trama, envolve-o, mas raramente o emociona. Embora a boa diretora Debra Granik, também dando seus primeiros passos na profissão, foque sempre sua câmera nos rostos sofridos dos habitantes do distante povoado, ela derrapa feio na transferência de emoção verdadeira para a tela. Percebemos o sofrimento do povo, vemos a força que isso traz ao filme, mas de algum modo nos sentimos distantes de sua realidade.

Ao final da projeção de “Inverno da Alma”, sentimos uma sensação de que o filme poderia ter ido além. Talvez com uma maior aproximação com o público não só por parte da protagonista, talvez com uma maior emoção passada pela direção e pelo roteiro. Percebe-se a vontade de todos de fazer o filme funcionar, percebe-se que aqueles atores desconhecidos da esmagadora maioria do público estão ali dando seu sangue, seu máximo. Entretanto, ao vermos o desenvolvimento da narrativa e dos personagens, terminamos com uma ponta de decepção, pois se perdeu uma grande chance de fazer uma obra-prima. Obra-prima, não; bom filme, sim.

Por Danilo Martins

Anúncios

O retorno (pra valer dessa vez)

Pouco mais de oito anos atrás, foi escrita a primeira crítica deste blog. O filme contemplado foi Jogos Mortais, meu favorito à época, e confesso não ter sido dos meus melhores textos. Com o tempo, o blog foi melhorando, passando a ser um pouco mais conhecido, recebendo mais visitas e comentários. Até que, quando estava em bom momento, este que vos escreve decidiu largar tudo. Obrigações foram surgindo, o tempo tornou-se escasso, e foi quase inevitável deixar este blog de lado, por mais que fosse difícil.

Foram seis anos de hiato. Recentemente, me bateu saudade de escrever aqui, e, quando entrei na área de edição do blog, tive uma surpresa enorme: ele continuava sendo visitado e, por mais incrível que possa parecer, o número de visitantes e de visitas aumentou assustadoramente. Senti um orgulho enorme por meus textos continuarem sendo lidos, por pessoas continuarem levando minhas opiniões em consideração, e por continuarem interagindo neste espaço pelo qual sinto tanto carinho. O crescimento do blog, mesmo sem interferência minha, me deu o ânimo que faltava para eu voltar pela segunda vez, e continuar expressando aqui minhas percepções sobre filmes bons, médios e ruins, sempre com o máximo de sinceridade e buscando o maior apuro técnico possível.

A cara do Cinema Levado a Sério mudou, e algumas mudanças mais virão. Mas não vou dar spoiler, porque sei o quanto isso é péssimo! Por isso, peço que você continue me acompanhando, pode ter certeza de que vai valer a pena.

Sejam bem-vindos de volta!

Acompanhe o Oscar em tempo real

Neste domingo, dia 7 de março, às 22h (horário de Brasília), acontecerá a maior premiação do cinema, o Oscar 2010. Diferentemente do ano passado, não farei um especial do Oscar com apostas neste blog, mas farei um acompanhamento em tempo real através de meu twitter, postando os indicados, meus favoritos, resultados e comentários. Não deixem de acompanhar! O endereço está abaixo!

http://twitter.com/Danilinho_HM

Vejo vocês no domingo!

Vencedores do Oscar 2009

Este site fez um especial sobre o Oscar 2009, que ocorreu ontem, dia 22/02. Nossos palpites foram dados, e esta é a hora de ver os acertos e os erros.

Melhor Filme

Aposta do site: “Milk – A Voz da Igualdade”

Vencedor: “Quem Quer Ser um Milionário?”

Melhor Direção

Aposta do site: Stephen Daldry (“O Leitor”)

Vencedor: Danny Boyle (“Quem Quer Ser um Milionário?”

Melhor Ator

Aposta do Site: Mickey Rourke (“O Lutador”)

Vencedor: Sean Penn (“Milk – A Voz da Igualdade”)

Melhor Atriz

Aposta do Site: Meryl Streep (“Dúvida”)

Vencedora: Kate Winslet (“O Leitor”)

Melhor Ator Coadjuvante

Aposta do Site: Heath Ledger (“Batman – O Cavaleiro das Trevas”)

Vencedor: Heath Ledger (“Batman – O Cavaleiro das Trevas”)

Melhor Atriz Coadjuvante

Aposta do Site: Viola Davis (“Dúvida”)

Vencedora: Penélope Cruz (“Vicky Cristina Barcelona”)

Melhor Filme de Animação

Aposta do Site: Wall-E

Vencedor: Wall-E

Melhor Filme de Língua Estrangeira

Aposta do Site: Revanche (Áustria)

Vencedor: Departures (Japão)

Melhor Roteiro Original

Aposta do Site: Wall-E

Vencedor: Milk – A Voz da Igualdade

Melhor Roteiro Adaptado

Aposta do Site: O Curioso Caso de Benjamin Button

Vencedor: Quem Quer Ser um Milionário?

Melhor Figurino

Aposta do Site: A Duquesa

Vencedor: A Duquesa

Melhor Maquiagem

Aposta do Site: O Curioso caso de Benjamin Button

Vencedor: O Curioso Caso de Benjamin Button

Melhor Montagem

Aposta do Site: Batman – O Cavaleiro das Trevas

Vencedor: Quem Quer Ser Um Milionário?

Melhores Efeitos Visuais

Aposta do Site: Batman – O Cavaleiro das Trevas

Vencedor: O Curioso Caso de Benjamin Button

Melhor Fotografia

Aposta do Site: O Curioso Caso de Benjamin Button

Vencedor: Quem Quer Ser um Milionário?

Melhor Som

Aposta do Site: Wall-E

Vencedor: Quem Quer Ser um Milionário?

Melhor Edição de Som

Aposta do Site: Batman – O Cavaleiro das Trevas

Vencedor: Batman – O Cavaleiro das Trevas

Melhor Trilha Sonora

Aposta do Site: Quem Quer Ser um Milionário?

Vencedor: Quem Quer Ser um Milionário?

Melhor Canção Original

Aposta do Site: Down To Earth (“Wall-E”)

Vencedora: Jai Ho (“Quem Quer Ser um Milionário?”)

Melhor Direção de Arte

Aposta do Site: O Curioso Caso de Benjamin Button

Vencedor: O Curioso Caso de Benjamin Button

Melhor Documentário

Aposta do Site: Águas de Katrina

Vencedor: Homem Equilibrista

Acertos: 7

Erros: 14

Prévia do Oscar 2009

Como todos sabem, a 81ª cerimônia do Oscar ocorrerá neste domingo, dia 22/02/09, pleno domingo de Carnaval. Mas, antes de cair na folia, o https://cinemalevadoaserio.wordpress.com apresenta uma prévia da premiação mais importante do cinema, com pitacos dos vencedores, candidatos a zebra, etc. Bem, chega de história, vamos ao que interessa!

Melhor filme

A categoria mais esperada da premiação nos apresenta cinco concorrentes fortíssimos: “Milk – A Voz da Igualdade”, “O Curioso Caso de Benjamin Button”, “Frost/Nixon”, “O Leitor” e “Quem Quer Ser um Milionário?”. Apesar da qualidade inegável dos indicados, vejo uma disputa mais acirrada entre os dois primeiros. “Milk – A Voz da Igualdade”, estrelado por Sean Penn, conta a história do primeiro político gay assumido eleito nos EUA, e arrancou aplausos em todos os lugares onde já estreou. “O Curioso Caso de Benjamin Button”, apesar de não ter enchido muito meus olhos, é um nome fortíssimo para levar a principal estatueta. Corre por fora o ótimo “O Leitor” (na minha opinião, melhor que “O Curioso Caso…”), que teve outras quatro indicações. Na minha opinião, foram bastante injustiçados os filmes “Batman – O Cavaleiro das Trevas” e “Wall-E”, que teriam lugar nessa lista, tranquilamente (discordo da indicação de “O Curioso Caso…” e de Frost/Nixon”). Mas meu favorito é “Milk – A Voz da Igualdade”.

Melhor Direção

O segundo prêmio mais disputado da academia é, normalmente, combinado com o primeiro: muitas vezes tivemos o diretor do melhor filme premiado com a estatueta de melhor direção. Neste ano, coincidência ou não, os cinco diretores indicados são exatamente os que dirigiram os cinco indicados a melhor filme. Temos Ron Howard (“Frost/Nixon”), Gun Von Sant (“Milk – A Voz da Liberdade”), David Fincher (“O Curioso Caso de Benjamin Button”), Danny Boyle (“Quem Quer Ser um Milionário?”) e Stephen Daldry (“O Leitor”). Mesmo com a tradição citada anteriormente, arrisco-me a não apostar em Gus Von Sant. Seu trabalho em “Milk” é genial, mas a intensidade de “O Leitor” não seria a mesma sem a direção de Stephen Daldry. Considero injusta a indicação de David Fincher, que fez um trabalho totalmente comum em “O Curioso Caso…”, inclusive prejudicando a história espetacular que tinha em mãos. Minha aposta é Stephen Daldry.

Melhor Ator

O prêmio para o melhor ator de 2009 pode ser a maior injustiça a ser cometida na 81ª edição do Oscar. Os cinco indicados são Brad Pitt (“O Curioso Caso de Benjamin Button”), Sean Penn (“Milk – A Voz da Igualdade”), Mickey Rourke (“O Lutador”), Richard Jenkins (“O Visitante”) e Frank Langella (“Frost/Nixon”). O porquê da injustiça? Tem-se falado muito no nome de Brad Pitt como o favorito a levantar a estatueta por sua atuação em “O Curioso Caso…”, mas acontece que sua atuação como protagonista da produção não teve nada de extraordinário. Extraordinário foi Mickey Rourke, que triplicou o brilho de “O Lutador” com sua atuação irretocável. Ainda corre por fora Sean Penn, com seu excelente Milk. Os membros da academia provavelmente darão o prêmio a Brad Pitt, mas eu insisto com Mickey Rourke.

Melhor Atriz

Certamente a categoria de prêmios individuais que menos deu trabalho à academia, “melhor atriz” é uma das categorias com indicações mais coesas deste Oscar (com uma ressalva, mostrada mais abaixo). As indicadas são Maryl Streep (“Dúvida), Kate Winslet (“O Leitor”), Melissa Leo (“Rio Congelado”), Anne Hathaway (“O Casamento de Rachel”) e Angelina Jolie (“A Troca”). Vamos, então, à ressalva. Na minha opinião, a atuação de Julianne Moore em “Ensaio Sobre a Cegueira” foi excelente, sendo merecedora de indicação (entraria no lugar de Melissa Leo ou de Anne Hathaway, que tiveram atuações piores que a sua). Kate Winslet foi ótima em “O Leitor” e Angelina Jolie finalmente foi reconhecida com uma indicação, deixando completamente para trás a fama de má atriz que tinha. Já Meryl Streep… É simplesmente óbvio demais dizer que Streep irá ganhar a estatueta, pois sua atuação em “Dúvida” foi memorável, sendo um dos pontos mais altos do longa (longa que teve, talvez, o elenco mais eficaz que já vi). Com toda a certeza, Meryl Streep é minha favorita.

Melhor Ator Coadjuvante

Nesta 81ª edição do Oscar, poderemos ter um fato inusitado: uma premiação póstuma. Os indicados para a categoria são Michael Shannon (“Foi Apenas um Sonho”), Josh Brolin (“Milk – A Voz da Liberdade”), Robert Downing Jr. (“Trovão Tropical”), Philip Seymour Hoffman (“Dúvida”) e Heath Ledger (“Batman – O Cavaleiro das Trevas”). Os francos favoritos são Philip Seymour Hoffman e Heath Ledger (que, se ganhar, será o primeiro Oscar póstumo entrege em 81 anos). Hoffman fez o padre possivelmente pedófilo em “Dúvida”, tendo uma atuação espetacularmente intensa e tensa. Ledger foi considerado o “melhor Coringa da história dos filmes do Batman”, com uma atuação sensacional. Apesar de considerar Hoffman um candidato muito forte, aposto no Oscar póstumo para Heath Ledger.

Melhor Atriz Coadjuvante

Com uma indicação absurda e quatro muitíssimo justas, a categoria de melhor atriz coadjuvante deve ter sido bastante acirrada nos votos da academia. As indicadas são Taraji P. Henson (“O Curioso Caso de Benjamin Button”), Viola Davis (“Dúvida”), Penélope Cruz (“Vicky Cristina Barcelona”), Amy Adams (“Dúvida”) e Marisa Tomei (“O Lutador”). O absurdo a que me referi anteriormente foi a indicação de Taraji P. Henson, com uma atuação nada mais que convencional em “O Curioso Caso…” (aposto que se sua atuação fosse repetida em um filme menor, nem seria cotada a ser indicada). Quanto às outras, todas foram merecedoras de indicação, sendo complicado demais fazer qualquer tipo de aposta. Mas, sem ficar em cima do muro, meu palpite é Viola Davis.

Melhor Filme de Animação

A maior barbada da do 81º Oscar, a categoria “melhor filme de animação” conta com três indicados: “Wall-E”, “Bolt – Supercão” e “Kung Fu Panda”. Na minha opinião, o maior injustiçado da categoria foi o ótimo “Horton e o Mundo dos Quem”, que merecia ser, ao menos, indicado. Quanto ao vencedor… Sem desmerecer a qualidade de “Bolt” e “Kung Fu Panda”, só um louco não daria a estatueta para “Wall-E”, sem dúvida o melhor filme de animação do ano (não só do ano, mas talvez da história). A qualidade de “Wall-E” é tão grande que, na opinião de muitos (posso ser incluído dentre esses muitos), o longa poderia ser indicado até para a principal categoria da premiação. Obviamente, meu palpite vai para Wall-E.

Melhor Filme de Lígua Estrangeira

Os indicados para a categoria são “Departures” (Japão), “Der Baader Meinhof Komplex” (Alemanha), “Valsa com Bashir” (Israel), “Entre os Muros da Escola” (França) e “Revanche” (Áustria). Confesso que não tive a oportunidade de assistir a nenhum dos cinco, mas, pelo que ouvi e li, minha aposta é em Revanche.

Melhor Roteiro Original

Mais uma categoria com indicações boas e coesas, “melhor roteiro original” tem cinco ótimos candidatos, mas dois grandes destaques. Os indicados são “Rio Congelado”, “Simplesmente Feliz”, “Na Mira do Chefe”, “Milk – A Voz da Igualdade” e “Wall-E”. Apesar dos três primeiros serem bons filmes com roteiros muito bem escritos, é inegável que a estatueta fique entre “Milk” e “Wall-E”. O primeiro é meu favorito para levar o prêmio de melhor filme, mas teria sido muitíssimo ameaçado se “Wall-E” estivesse concorrendo na mesma categoria (e obviamente ganhará o prêmio de melhor animação). Parece-me que o roteiro de “Milk” era mais “fácil” de ser escrito, por tratar-se de uma história real, o que, claro, não acontece em “Wall-E”. Pela genialidade e inventividade, meu favorito é Wall-E.

Melhor Roteiro Adaptado

Curiosamente, quatro dos cinco filmes indicados na categoria “melhor roteiro adaptado” foram também indicados na categoria de “melhor filme” deste Oscar 2009. Os indicados são “O Curioso Caso de Benjamin Button”, “Dúvida”, “Frost/Nixon”, “Quem Quer Ser um Milionário?” e “O Leitor”. O grande azarão da disputa é “Dúvida”, que, apesar da belíssima história, teve como maior destaque seu talentosíssimo elenco. Os outros quatro, até por terem sido indicados a melhor filme, carregam uma carga grande de importância. Reconhecendo a qualidade dos outros indicados, meu favorito é O Curioso Caso de Benjamin Button.

Melhor Figurino

Dentre as categorias técnicas, “melhor figurino” é uma das que eu considero de mais fácil escolha para esta premiação. Os indicados são “Foi Apenas um Sonho”, “Milk – A Voz da Igualdade”, “A Duquesa”, “O Curioso Caso de Benjamin Button” e “Austrália”. Todos os indicados têm belíssimos figurinos, embora “Milk” seja o de menos destaque. “Austrália” e “O Curioso Caso de Benjamin Button” têm figurinos excelentes e realistas, mas não conseguem superar a exuberância de “A Duquesa”. Com o figurino como ponto mais alto, meu favorito para a categoria é A Duquesa.

Melhor Maquiagem

A categoria “melhor maquiagem” poderia muito bem dividir a estatueta entre seus três excelentes indicados: “Hellboy 2 – O Exército Dourado”, “Batman – O Cavaleiro das Trevas” e “O Curioso Caso de Benjamin Button”. Os três filmes têm visual exuberante, verdadeiros colírios para os olhos do espectador, e a maquiagem é um dos fatores responsáveis por tamanha beleza. Apesar do equilíbrio entre os três, considero “Batman – O Caveleiro das Trevas” um degrau abaixo dos outros. Entre os outros, como não posso ficar em cima do muro, fico com O Curioso Caso de Benjamin Button.

Melhor Montagem

Na categoria “Melhor Montagem”, temos os seguintes indicados: “Quem Quer Ser um Milionário?”, “O Curioso Caso de Benjamin Button”, “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, “Frost/Nixon” e “Milk – A Voz da Igualdade”. Apesar de reconhecer o equilíbrio entre os cinco e a justiça das indicações, aposto em Batman – O Cavaleiro das Trevas.

Melhores Efeitos Visuais

Mesmo sendo apenas três indicados para esta categoria, considero que a academia conseguiu cometer um equívoco imenso com uma das indicações. Os indicados foram “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, “O Curioso Caso de Benjamin Button” e “Homem de Ferro”. O equívoco a que me referi é a indicação de “O Curioso Caso…”, cujos efeitos especiais não foram bons a ponto de merecer uma indicação. Meu favorito é Batman – O Cavaleiro das Trevas, mesmo que “Homem de Ferro” tenha efeitos exuberantes.

Melhor Fotografia

Em uma das categorias com disputa mais acirrada desta 81ª edição do Oscar, temos os seguintes indicados: “O Leitor”, “O Curioso Caso de Benjamin Button”, “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, “A Troca” e “Quem Quer Ser um Milionário?”. Apesar de todos terem plenas condições de levar a estatueta, a fotografia emotiva de “O Curioso Caso…”, a sombria de “Batman…” e a tensa de “A Troca” são as mais cotadas, na minha opinião. Mas meu palpite vai para O Curioso Caso de Benjamin Button.

Melhor Som

O som é parte fundamental dos filmes, sejam eles de ação ou de romance, de terror ou animação. E os cinco indicados na categoria capricharam muito neste quesito. Os indicados foram “O Procurado”, “Wall-E”, “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, “O Curioso Caso de Benjamin Button” e “Quem Quer Ser um Milionário?”. O espaço que separa as cinco produções é mínimo, pois o equilíbrio é bastante visível, o que, com certeza, deu um imenso trabalho aos membros da academia. Mesmo querendo apostar nos cinco, meu favorito é Wall-E.

Melhor Edição de Som

A semelhança desta categoria com a anterior é evidente, tanto que, dos cinco indicados, elas têm quatro em comum. “Homem de Ferro”, “Wall-E”, “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, “O Procurado” e “Quem Quer Ser um Milionário?” foram os indicados. Assim como a categoria anterior, há um grande equilíbrio entre os indicados. E assim como na anterior, os melhores são “Batman – O Cavaleiro das Trevas” e “Wall-E”. Mas, desta vez, minha aposta vai para Batman – O Cavaleiro das Trevas, com sua edição completamente perfeita.

Melhor Trilha Sonora

Equilíbrio é palavra-chave também na premiação para melhor trilha sonora deste 81º Oscar. Os indicados são “Um Ato de Liberdade”, “O Curioso Caso de Benjamin Button”, “Wall-E”, “Milk – A Voz da Liberdade” e “Quem Quer Ser um Milionário?”. Ainda assim, os mais fortes concorrentes são “Wall-E” e “Quem Quer Ser um Milionário?”. E eu fico com Quem Quer Ser um Milionário?.

Melhor Canção Original

A lista das três canções indicadas nesta categoria mostra claramente quais foram as melhores trilhas sonoras de 2009. As indicadas são “O Saya” (“Quem Quer Ser um Milionário?), “Jai Ho” (“Quem Quer Ser um Milionário?”) e “Down To Earth” (“Wall-E”). Inegavelmente, as três canções são belíssimas, mas “Jai Ho” fica um degrau abaixo das outras duas. Tendo que escolher entre as duas restantes, fico com a mais emocionante, Down To Earth, de “Wall-E”.

Melhor Direção de Arte

Os indicados para direção de arte são “Foi Apenas um Sonho”, “A Duquesa”, “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, “O Curioso Caso de Benjamin Button” e “A Troca”.  Mais uma boa disputa entre “O Curioso Caso…” e “Batman…”. Desta vez, meu favorito é O Curioso Caso de Benjamin Button.

Melhor Documentário

Dentre os documentários indicados ao Oscar 2009, há de se ressaltar um curioso fato: a grande maioria tem grandes doses de drama e emotividade. os indicados são “The Garden”, “The Betrayal – Nerakhoon”, “Homem Equilibrista”, “As Águas de Katrina” e “Encounters at the End of the World”. Não tive a oportunidade de assistir aos cinco, mas os dois últimos me chamaram mais a atenção. E, entre os dois, fico com As Águas de Katrina.


Então, são esses os meus pitacos para as categorias mais importantes da premiação. Espero que tenham gostado. Aproveitem para participar, dêem suas opiniões também! E bom Oscar para todos!

Por Danilo Henrique